Toninho teste
POLÊMICA

Em meio a polêmicas e acusações de golpe, o Conselho Universitário da UFPI marca para esta quarta-feira (26) a homologação do resultado da eleição para reitora

Pela primeira vez na história a Universidade Federal do Piauí (UFPI) tem uma eleição encabeçada apenas por mulheres.

25/06/2024 22h33
Por: Redação
Foto: Google/Imagens
Foto: Google/Imagens

Em meio a polêmicas e até acusações de um suposto golpe contra a Prof.ª Nadir Nogueira, vencedora da consulta acadêmica realizada no último dia 15 de maio de 2024, o Conselho Universitário (CONSUN) da Universidade Federal do Piauí – UFPI decidiu marcar para esta quarta-feira (26) a homologação da consulta comunitária.

Espera-se que além do ato de homologação e seguindo o rito já comum, o Conselho convoque uma nova reunião para formar a lista tríplice que será enviada ao Ministério da Educação (MEC) para a escolha da próxima reitora da instituição, já que neste ano três mulheres encabeçaram as chapas para a reitoria.

O resultado da consulta à comunidade acadêmica deu ampla vantagem à professora Nadir Nogueira, candidata da chapa 02 que obteve, no total, 6.647 votos. Isso corresponde a 48,30% dos votos válidos da comunidade acadêmica. Em segundo lugar ficou Prof.ª Lívia Nery, da chapa 1, com 3.228 votos ou 34,85% dos votos válidos, e a prof.ª Flávia Lorene, da chapa 3, ficou em terceiro lugar com 16,84%.  Em termos gerais, a vantagem da professora Nadir Nogueira que já foi vice-reitora da UFPI, sobre as outras duas concorrentes em números absolutos, foi de mais de três mil votos.

Ainda assim, há rumores de uma tentativa golpe contra a homologação da chapa vencedora. Por essa razão a chapa 2, encabeçada pela professora Nadir Nogueira e pelo Prof. Edmilson Moura, divulgou uma carta aberta à sociedade denunciando uma possível estratégia para não respeitar o resultado da consulta eleitoral aos professores, servidores e alunos da UFPI. A professora do curso de Nutrição obteve 48,3% dos votos.

Como já é de conhecimento público, a eleição na Universidade deve orientar o Conselho Universitário na formação da lista tríplice, respeitando os três nomes mais votados. No entanto, cabe ao Presidente da República escolher entre aqueles indicados no documento quem deve tomar posse como reitora ainda neste ano.

Pela primeira vez na história a Universidade Federal do Piauí (UFPI) tem uma eleição encabeçada apenas por mulheres. Soa bastante estranha as informações que circulam nos bastidores de que existam manobras com o objetivo impedir que a mais votada entre elas participe da lista tríplice. Seria a história anulando a história. 

Veja na íntegra o documento da Chapa 2:
Estratégia para Não Respeitar Resultado da Consulta Eleitoral à Comunidade Universitária na UFPI

Resumo dos Fatos:
1. Aprovação da Resolução Eleitoral: o reitor aprovou a Resolução nº 192/2024, posteriormente alterada pela Resolução 201/2024, no CONSUN (Conselho Universitário). Nesse conselho, o reitor possui a maioria dos votos, pois todos os pró-reitores, nomeados por ele, são membros.

2. Simulação de Disputa: o reitor simulou uma disputa interna, lançando duas candidatas (chapa 1 e chapa 3) de sua gestão para participar da consulta eleitoral.

3. Apoio Disfarçado: iniciou o processo apoiando a chapa 3 (Prof.ª Flávia e Prof. Viriato). No primeiro dia oficial da campanha, designou os candidatos da chapa 3 para representá-lo numa solenidade oficial no Campus de Bom Jesus, utilizando carros oficiais, o que é expressamente proibido pela resolução no Art. 24°.

4. Mudança de Apoio: na reta final da campanha, percebendo que perderia, tentou reunificar o seu grupo de apoio. Não conseguindo, mudou de lado e passou a pedir votos para a chapa 1 (Prof.ª Livia e Prof. Welter).

5. Propaganda Irregular: o grupo da chapa 1 utilizou o e-mail institucional para pedir votos e fez propaganda no Instagram um dia antes da eleição, violando as regras do Edital nº 001/2024 e do Art. 23° da Resolução, o que deveria resultar na cassação da chapa.

6. Denúncia Ignorada: em 14/05, um dia antes da eleição e dentro do prazo regimental, a chapa 2 denunciou essas irregularidades à Comissão Eleitoral, que não tomou nenhuma providência.

7. Vitória da Chapa 2: após a vitória esmagadora da chapa 2 (Prof.ª Nadir Nogueira e Prof. Edmilson Moura), com quase 2 mil votos a mais que o somatório dos votos das outras duas candidatas, o grupo do reitor não questionou as irregularidades, conforme previa a Resolução. O relatório da Comissão Eleitoral, sem apresentar qualquer ressalva ao processo e reconhecendo a vitória da chapa 2, bem como a prestação de contas de todas as chapas, está disponível no Processo SIPAC: 23111.023724/2024-91. A chapa 2 apresentou uma prestação de contas absolutamente transparente.

8. Acusações Pós-Eleitorais: após a Comissão Eleitoral concluir os trabalhos sem apontar irregularidades, notas inverídicas forma implantadas na mídia acusando a chapa 2 de infração na captação de recursos financeiros. Em seguida, o reitor pressionou o presidente da Comissão Eleitoral para analisar as denúncias infundadas, numa tentativa frustrada de mudar o relatório da Comissão Eleitoral.

9. Interferência do Reitor: o reitor anexou as denúncias infundadas e devolveu o processo para a Comissão analisar novamente. A Comissão devolveu o processo ao reitor para encaminhamento ao CONSUN, sem alterar o relatório inicial, demonstrando a lisura de todo o processo.

10. Nomeação Estratégica: o reitor nomeou o coordenador da campanha da chapa 3 como pró-reitor (Prof. Newton Freitas) e o designou relator do processo de homologação da Consulta à Comunidade no CONSUN, que ocorrerá no dia 26/06. Este relator já manifestou juízo de valor publicamente.

11. Parcialidade Declarada: o relator expressou nas redes sociais e na mídia televisiva que vai opinar pela não aprovação das contas da chapa 2, sabendo que há irregularidades nas contas das outras duas chapas.

12. Processo Administrativo: após a convocação para a reunião do CONSUN, no dia 22/06, dois representantes da chapa 1 entraram com processo administrativo com denúncias infundadas e fora do prazo processual, tentando dar credibilidade às fake news.

13. Tentativa de Construção de Narrativa: no dia 23/06, a chapa 1 (Prof.ª Lívia e Prof. Welter), sem apresentar nenhum fato novo, lançou nota nas redes sociais, trazendo as mesmas acusações infundadas usadas pelo reitor para tentar mudar o relatório da Comissão Eleitoral.

14. Possíveis Ações do Reitor: uma fonte afirma que o reitor trabalha com duas possibilidades após a reunião do dia 26/04 no CONSUN:

15. Não aprovação das contas da chapa 2: Uniria as chapas 1 e 3, colocando a Prof.ª Lívia Nery como candidata a reitora no Colégio Eleitoral que formará a lista tríplice.

16. Não homologação do resultado da consulta: Garantiria a união dos grupos ligados à gestão superior e ele mesmo, Prof. Gildásio Guedes, se inscreveria na lista tríplice a ser enviada ao Governo Federal.

17. Esperança de Indicação: o reitor acredita que estando na lista tríplice (ele ou a Prof.ª Lívia Nery) pode ser indicado pelo Presidente da República, devido a uma conexão próxima com o presidente Lula – um grande amigo de Angical do Piauí que trabalha na chefia de seu gabinete, “uma pessoa muito próxima ao presidente Lula”.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Picos, PI
Atualizado às 04h16
18°
Tempo limpo Máxima: 33° - Mínima: 17°
18°

Sensação

0.89 km/h

Vento

87%

Umidade

Anúncio
Anúncio
Municípios
Anúncio
Últimas notícias
Anúncio
Mais lidas
Anúncio
Anúncio